Surfar na Colômbia é uma cultura, uma competição, uma paixão! Esses são os fatores que ajudaram o esporte a crescer na América do Sul. Poucos conhecem suas origens, pois as novas gerações pouco têm aprendido sobre o nascimento e a história daquele que é o esporte que a cada dia lança novas figuras que se projetam no cenário mundial e que trazem muita adrenalina às praias colombianas.

Somos parte da segunda geração e gostaríamos de destacar de forma resumida o surgimento e a história do surfe na Colômbia.

Comecemos pelos nomes ou sobrenomes daqueles que servem de referência na formação do que é hoje o esporte de suas vidas, e para isso, voltemos aos anos 90. Os irmãos Álvarez, Juancho e Lucho, Jairo Echeverri, o famoso Kiko, Alex Boreli, Sérgio Navarro. Os venezuelanos, entre outros, foram os primeiros que vimos pegando ondas.

Tudo começou nos anos 70, quando a revolução surfista nos Estados Unidos começou a causar admiração entre as pessoas, independente de gênero, classe social, religião, ou cor da pele. Foi assim que se iniciou o que é hoje uma cultura em desenvolvimento no país.

De acordo com os pioneiros, os locais de encontro eram o Hotel Pradomar, onde se podia surfar em três pontos: El Paredón (O Paredão), El Bolsillo (O Bolso), e na praia em frente ao Hotel. “Surfávamos sozinhos, onde não havia muita gente, e éramos em 5 ou 6 privilegiados que percorriam desde El Paredón, passando pelas ondas em El Bolsillo, e quando a ondulação (swell) era boa o bastante para chegar até o lado do Hotel Pradomar, as ondas direitas tinham o formato e o percurso perfeitos e deixavam-nos com as pernas tremendo”, dizem os irmãos Àlvarez, que eram nativos do local visto que sua família é dona do Hotel Pradomar.

O píer era o ponto mais radical, onde as ondas batiam em seu lado direito. Havia dias em que as ondas eram tão grandes que víamos uma cascata caindo do topo dele. Era uma onda esquerda forte e gigante, de trajeto extenso. É uma pena que ele não exista mais!

Somos sortudos, pois tivemos o privilégio de surfar com essas lendas e pioneiros do surf no país, onde tudo começou no Caribe Colombiano.

Pedimos desculpas às pessoas que não mencionamos aqui. As lembranças foram boas e ficaram em nossas memórias, mas o tempo apaga alguns nomes e informações importantes que gostaríamos de destacar. Somos a segunda geração, onde tudo isso começou a crescer e se desenvolver. Não nos esqueçamos desses nomes que são referência do nosso esporte e cultura, um legado para os que surfam e crescem nessas ondas. Esta é a história. Vamos passá-la de geração em geração. Vocês são parte dela!

Um enorme “muito obrigado” a todas essas lendas, onde quer que estejam. Obrigado por ensinar-nos a viver desta paixão e por ensinar-nos a surfar.